No Mercado Futuro são negociados os contratos futuros de compra e venda de um determinado ativo. O Contrato Futuro é um instrumento financeiro cujo preço deriva do preço de mercado de uma commodity (soja, café, milho, boi, açúcar, etc) ou de outro instrumento financeiro (dólar, índices de bolsas, taxas de juros, ouro), aonde uma das partes se compromete a vender e a outra a comprar uma determinada quantidade de um ativo por um preço estipulado para a liquidação em data futura.

O valor de cada contrato oscila de acordo com a “oferta e demanda” do mercado, assim como o valor de uma ação. Neste ponto, a lógica é bem parecida com a do mercado de ações, porém no mercado futuro os compromissos são ajustados diariamente. Todos os dias as alterações de preços dos contratos são verificadas para apuração das perdas de um lado e dos ganhos do outro, realizando-se a liquidação das diferenças do dia.

Para a operação no mercado futuro são cobradas margens de garantia em cada contrato para  sustentar as posições em aberto. A Margem de Garantia é solicitada pela câmara de compensação para cobrir os compromissos assumidos pelos participantes no mercado futuro e representa um percentual do contrato assumido cobrado para garantir o cumprimento do mesmo. A margem de garantia pode ser cobrada em dinheiro depositada pelo cliente em sua conta da corretora ou em garantias, que podem ser renda fixa (CDI, por exemplo) ou até mesmo lote de ações que o usuário da bolsa possui.

Os três tipos de operações do mercado futuro são:

1) hedging: visa a proteção contra os movimentos adversos de preços do ativo com o qual se trabalha, tomando uma posição no mercado futuro oposta àquela assumida no mercado à vista, representando uma forma de seguro contra flutuações de preço;

2) especulação: consiste em estratégia em que se assume risco para se obter ganho financeiro. Os ganhos ou prejuízos podem ser muito grandes e acontecerem em um curto espaço de tempo. Os especuladores, então, assumem os riscos de preços do mercado, dando liquidez aos contratos, conferindo-lhes um importante papel no mercado;

3) arbitragem: realização de ganhos aproveitando distorções temporárias dos preços de um ou mais ativos, ou seja, é um ganho sem risco. O agente compra no mercado onde o preço está mais baixo e vende onde o preço está mais alto.

Iremos considerar aqui apenas o segundo tipo de operação: especulação.

Investir no Mercado Futuro é tão simples como investir em ações. Assim como as ações, cada contrato tem um “lote mínimo” que representa a quantidade negociada daquela commodity, que pode ser em sacas de café, arrobas de boi gordo, dólares, juros ou mesmo pontos de índices. Cada contrato tem um código de negociação e você compra e vende os contratos diretamente pelo Home Broker. O mesmo que você utiliza para comprar e vender ações. Quando você compra um contrato futuro, passa a ganhar com a alta dos seus preços e perde dinheiro se o valor cair. A principal diferença é que no mercado futuro você não “paga” nem “recebe” pelo valor dos contratos que está operando. Você apenas arca com as oscilações daquele contrato, recebendo os ganhos ou pagando pelas perdas. O que pode trazer grandes vantagens.

O contrato futuro caracteriza-se por:

  • Padronização acentuada;
  • Elevada liquidez;
  • Negociação transparente em bolsa mediante pregão;
  • Possibilidade de encerramento da posição com qualquer participante em qualquer momento, graças ao ajuste diário do valor dos contratos;
  • Utilização do mecanismo das margens depositadas em garantia e do ajuste diário para evitar a acumulação de perdas.

As desvantagens operacionais do mercado futuro são:

  • Exigir elevada movimentação financeira devido aos ajustes diários (instabilidade no fluxo de caixa);
  • Necessitar de depósito de garantias.

A seguir vamos falar das suas 5 vantagens principais:

1 – Diversificação

Com o Mercado Futuro você não fica preso só a ações, o que permite buscar boas oportunidades de ganhar dinheiro independentemente do que acontece com as ações na Bovespa. Nele você tem liberdade para investir em bens de consumo muito importantes para a humanidade, como: milho, café, carne, assim como em moedas, juros e índices internacionais.

2 – Alavancagem

Para investir em futuros, você não precisa do valor do contrato operado em dinheiro, já que você não paga ou recebe por ele, mas sim pela sua oscilação. Sendo assim, você consegue investir muito com pouco dinheiro.

Por exemplo, para se comprar 100 ações da Petrobrás (Petr4), ao custo de R$ 10,00 por ação, é necessário ter em conta R$ 1.000,00 para efetuar a compra. Já no mercado futuro não funciona assim. Com os mesmos R$ 1.000,00 você consegue operar Day Trade (tanto compra como venda), por exemplo, até 2 contratos de mini índice (WIN).

Neste caso, se a cotação do índice subir 3%, isso representaria um ganho, no caso de compra do mini índice, em torno de 1500 pontos por contrato (para um índice em torno de 50 mil pontos), o que representaria um ganho de R$ 600,00 e um resultado de +60% sobre o capital inicial de R$ 1.000. Da mesma forma, se houver uma queda de 3%, o resultado representa uma perda de 60% sobre o valor da margem. Essa é a natureza do mercado futuro: você não paga nem recebe pelo ativo, mas apenas pelas oscilações de preço, o que permite um grande poder de alavancagem. Não existe custo adicional para você alavancar, a diferença está no aumento do potencial de ganho e do risco da operação na mesma proporção. A alavancagem é uma ferramenta poderosíssima que poderá auxiliá-lo a impulsionar seus resultados mesmo com pouco dinheiro. Entretanto, é importante frisar que a diferença entre o remédio e o veneno é a dosagem.

3 – Facilidade

Negociar no Mercado Futuro é tão fácil quanto negociar ações. Você consegue fazer isso pelo Home Broker exatamente como faz com as ações. Todas as estratégias que você aprendeu sobre o Mercado de Ações também funcionam excepcionalmente bem para o Mercado futuro, seja para Day Trade ou para Curto Prazo (Swing trade). Inclusive, por terem um volume de negociação muito grande, alguns contratos são muito melhores de serem operados do que a maioria das ações.

4 – Flexibilidade

No mercado futuro, você pode apostar tanto na alta quanto na baixa de um ativo sem nenhum custo adicional. Se a perspectiva para o dólar é de queda, você pode simplesmente vender ao invés de comprar. Assim quanto mais o dólar cai, mais você ganha. Você também poderá fazer isso com o Índice Bovespa, por exemplo, ou mesmo com o preço do Milho. Para realizar os lucros bastará você comprar depois o contrato, encerrando a operação.

5 – Liquidez/Volume

O Mercado Futuro chega a ter um volume dez vezes maior que o do mercado de ações em um único pregão. Este alto volume facilita muito que você consiga entrar e sair do mercado com agilidade. Além disso, essa característica faz com que os estudos de Análise Técnica sejam mais eficientes do que no mercado de ações. O que permite bons ganhos para aqueles investidores atentos às melhores oportunidades no mercado.

Deixe um comentário